quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Aquela velha escuridão II


(...)

Acabou se tornando um ritual o fato de eu não dormir. A não ser pela manhã, quando eu me deitava por duas ou três horas e ia trabalhar.

Um dia, no caminho do trabalho, fiquei parada no trânsito por uma hora. O trânsito de São Paulo me enlouquecia e o que me restava era observar pessoas pra passar o tempo. Pessoas sempre cheias de raiva, pressa, tédio, sono, cansaço... Tudo igual! Foi quando alguém no rádio pediu sorrisos. A ordem era olhar pro carro ao lado e sorrir. Sorriso é confissão, mas de tão cansada que estava, sorri.

No fim do dia, cheguei em casa, apaguei as luzes, olhei fixamente pra vela e adormeci.

No outro dia comecei a me livrar de tudo o que me fazia mal e sorrir pra mais pessoas. Meu medo do escuro ainda estava lá, mas eu o ignorava, dividia com os outros sorrindo, do meu modo, e me concentrava na claridade que vinha da vela. Ela era calorosa. Até parecia um sorriso. E o resto eu resolvia pela manhã.

10 comentários:

Cássia Barbosa disse...

Que delícia esse texto... Nossa, amei... Disse muita coisa pra mim. Sério mesmo...
Obrigada pela visita ao meu blog, e passe lá mais tarde q vou postar a continuação da história.
Bjos!

Gaby Soncini disse...

Nossa admirada estou.

Ficou ótimo seu texto.

Apaixonei.

Parabénsss !!!

Arlequim disse...

Que delícia esse texto [2]

Beijos. ;*

Gabriele Fidalgo disse...

É, disse muita coisa mesmo!!
Gostei muito!

:*

Thais Michele Rosan disse...

é ...
amei o texto.

e diz uma coisa, que eu preciso fazer, desistir dos meus medos.
pois estão acabando comigo =/

adorei o post!
parabéns

a foto ta linda também *-*

beijos

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Nunca se espera quando o que se requer é o instante de si. Era o instante, a vez do momento, o agora da hora. Libertou a claridade que sempre houve no ser, mas não havia -pelo menos diante do olhar-de-fora. E tudo se fez claridade, tanto na palavra falada quanto na fala palavrada pelos papos que teve, reconstruindo tudo novamente apenas pelo brilho de um outro olhar. O do instante chamado “sua vez”!

Gostei. Desejo muitas inspira-AÇÕES por esses textos!

Beijos retribuídos e clareados!

...

marceloclash disse...

Adorei seu texto, e amei seu blog. Muito bom.

Visitem Meu BLOG: http://tchannannan.blogspot.com/

_ds2_minina_ disse...

Opa... legal o texto ^^

e obrigada pela visita

:)

http://vivoverde.blogspot.com

Leonardo Hoffman disse...

Muito bom o post.Gostei muito da atmosfera do blog.
Volto pra ler mais coisas passadas e futuras.
Posso linkar?

Beijo

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu