domingo, 30 de novembro de 2008

Pra você que já não tenho mais


Foi entre a poeira da varanda e o frio da calçada que a vi repetir sem consolo:

- Ainda podemos fugir!

Mas quem dera, não o fiz. Era covarde demais para fazê-lo. É: covarde mesmo! Porque nunca tive coragem de olhar pra mim como olhava ao redor. Pensava nas ciscunstâncias, nos sentimentos alheios, mas nunca em mim mesmo. O preço desse hábito foi vê-la partir. Meu coração se foi com o dela, que agora corria no meio da chuva, transtornada.

Ah, Se naquele momento eu pudesse prever que meu sorriso seria roubado e que sem ela só haveriam momentos de alegria e mais nada... Mas não previ.

Abri mão de mim mesmo e me vi envelhecer. Mas não de idade.
Hoje sou assim, só lembranças. Me vejo sorrir poucas vezes, nos fins de tarde em que minhas filhas caminham na minha direção. Nesses momentos, somente nesses momentos, sinto que fiz a coisa certa. Mas aquilo que pulsa dentro de mim ainda sente a falta dela.
Se passam os dias, os anos, e quando parece estar tudo bem o vento me traz aquela poeira de volta. Ela passa na minha frente e o meu corpo estremece. Ainda vejo naqueles os olhos tristes o frio da calçada, e quando a garganta começa a doer ouço o pedido:

- Volta!

Mas logo passa e lá se vai ela novamente, mais linda do que nunca.

Pudera eu parar o tempo naquele olhar...

16 comentários:

Rafael Cury disse...

Lindo. De novo. Volto sempre. Beijo.

Monday disse...

as vezes a gente fica mesmo em dúvida pra que lado levar o barco, não, menina?
seja como for, continuo achando que o melhor a fazer é aquilo que se tem vontade: certo ou errado, ao menos foi feito por nós!

seja como for, conteúdos a parte, o texto está muito bonito e muito bem escrito. deu prazer em ler, mesmo com o sono chegando ...

e obrigado pela visita

João da Silva disse...

Lindo! Lindo!
Renascer, esta é a regra!
Beijos, querida, do João

Arlequim disse...

"E foi entre a poeira da varanda e as lágrimas dos olhos, que a vi repetir sem consolo: "ainda podemos fugir!"

Inveja literária [2]
;)
Beijos

Noé disse...

bom...mas já pensou se o melhor jeito de recuperar um gosto do passado for: Ir para frente?
=))

Camila F. disse...

Tenho medo de viver apenas de lembranças...

Danilo disse...

muito tocante jéssica. todos sentem isso em algum momento. aquele velho clichê "cada escolha uma renúncia" a gente nunca sabe se fez o que era certo, só em alguns momentos podemos ter um pouco de certeza. você conseguiu trasmitir muito em um texto tão curto. parabéns.

Junkie careta disse...

"E foi entre a poeira da varanda e as lágrimas dos olhos, que a vi repetir sem consolo: "ainda podemos fugir!"

Isso foi tão Caio F. baby... Doeu aqui.

Que lindo...
Faço minhas as palavras de Arlequim.

Espero que o tempo passe e me encontre um dia nessa cena, solitário sem ter feito o que eu queria, como diz aquela canção.

Bjo

Gaby Soncini disse...

Ta ótimooo !!!

Um dos melhores texto que leio de sua autoria.

Beijos.

Nadezhda disse...

"Abri mão de mim mesmo, e me vi envelhecer. Não de idade, mas de coração. Literalmente".

Eu pararia o tempo em alguns olhares ;)

Camila disse...

Quem me dera se meus olhos fotografassem...
Queria sempre registrar aquele olhar dele...

Beijo

Cris Vieira disse...

Selo pra vc no tortices.
Sempre bom esse espaço.

gui makoto disse...

não se pode ficar preso a coisas do passado que te trazem lembranças tristes, se são águas passadas. que deixem ser!

todos nos arrependemos, mas foi a escolha do momento e naquele momento era o mais certo a fazer.

;]
_________________________

isso, isso..
as reações ao entrar em contato com a pele..

tem alguns que tem uns dias que exala um aroma e no outro está um pouco diferente..
acho que tudo influencia, o ph, tipo de pele, tempo, umidade..

beijo

Suzy disse...

"Era covarde demais para fazê-lo. É! covarde mesmo, porque nunca tive coragem suficiente pra olhar pra dentro de mim assim como olhava pra minha volta. "

Adoro o jeito que vc escreve^^
:* sua expressão é tudo!
Beijos!

João da Silva disse...

Putz, que força tem este texto... eu também gostaria de congelar determinados momentos. E como, e quanto gostaria!
Beijos carinhosos do João

Mara Vanessa disse...

Suas palavras são lindas! Assim como você, gostaria de ter parado meu tempo em determinados olhares...

Pô, Shannon Hoon por aqui. :) Adoro!